Paisagismo pra que?

Jardim do Centro de Estudos Terra Brazilis
Um dos muitos espaços do Centro de Estudos Terra Brazilis
Em uma época em que parece que a natureza está finalmente se rebelando contra séculos e séculos de agressões humanas, a integração com o paisagismo se torna cada vez mais importante nos projetos arquitetônicos e urbanísticos. Jardins, canteiros centrais, gramados, pavimentação do tipo cobograma, entre outras escolhas verdes, contribuem para a capacidade das cidades em reter as águas de chuva. Essa é apenas uma das vantagens.

Nos projetos residenciais, as áreas verdes amenizam a temperatura. “Se bem planejado, o jardim cria o que chamamos de microclima, uma área relativamente pequena em que as condições atmosféricas são diferentes do ambiente exterior. O vento leva a temperatura mais agradável desse microclima para o interior da casa, refrescando o ambiente”, explica Adailson Pinheiro Mesquita, professor do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário do Triângulo (UNITRI).

Segundo a bióloga Neiva Beatriz Antunes, do Centro de Estudos Terra Brazilis, outro motivo importante para a manutenção e criação de novas áreas verdes nas cidades é a interação das pessoas com o meio ambiente. “Manter pessoas e meio ambiente em comunhão é muito importante. Quanto mais próximas da natureza, mais as pessoas aprendem a respeitá-la e trabalhar junto com ela. Para as crianças isso é ainda mais essencial, porque faz com que elas cresçam com uma visão mais clara de preservação, sustentabilidade e amor pela natureza”, ressalta Neiva.

Um exemplo interessante de que mesmo as maiores empresas do mundo estão preocupadas em gerar uma relação melhor entre o ser humano e o ambiente onde vive, é o Festival Internacional de Flores e Jardinagem, realizado anualmente pelo Epcot, um dos quatro parques do Walt Disney World Resort, em Orlando. O evento celebra a primavera com jardins temáticos, esculturas topiarias de personagens, shows ao ar livre, palestras e até workshops de jardinagem. O parque também fica mais florido: este ano, pelo menos 70 mil mudas cercarão os lagos do Future World e, na água, serão instalados 220 minijardins flutuantes.

Jardins do Epcot em Orlando
Jardins do Epcot em Orlando
Ideias geniais como essa, o aquecimento do mercado e o amor pela natureza, têm gerado uma maior procura dos profissionais por se especializar na área. “Amo a natureza desde criança. E o paisagismo entra como um fator importante por me dar abertura de poder estar em contato com o verde de forma direta. Me dando a liberdade de usar meu lado criativo para manipular cenários que despertam sensações nos usuários, e em mim o prazer de ver minha criação concretizada. De forma geral o paisagismo, para mim, é um exemplo de uma arquitetura natural. Árvores são como o teto, a gramado piso, os arbustos paredes. Paisagismo é ensinamento. E saber interagir com isso é gratificante”, conta o estudante do 8º Período de Arquitetura e Urbanismo Kadutto Tavares.

Isabella Peixoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário